O enigma

O enigma

Era uma vez um príncipe que sentiu desejo de sair pelo mundo e não levou junto consigo senão um criado fiel. Um dia, ele cavalgava em uma grande floresta e, quando escureceu, vendo que não havia por ali nenhuma hospedaria, ficou sem saber onde passaria a noite. Então avistou uma moça que se dirigia a um casebre e, quando ele chegou mais perto, viu que a moça era jovem e bonita. Iniciou a conversa com estas palavras! Cara criança, será que eu e meu criado podemos encontrar abrigo nesta casa por esta noite? - Claro, disse a moça, com voz triste. Mas eu não aconselho; não entrem ali! - Por que não? perguntou o príncipe. A moça disse suspirando! - Minha madrasta pratica artes maléficas e não simpatiza com estranhos. Então ele compreendeu que tinha chegado à casa de uma feiticeira, mas, como estava escuro e ele não poderia prosseguir viagem nem tinha medo, entrou. A velha estava sentada em uma poltrona junto à lareira e examinou os estranhos com seus olhos vermelhos. Boa noite! murmurou ela, fingindo cordia lidade. Acomodem-se e descansem. Depois soprou o carvão sobre o qual, em uma grande panela, estava cozinhando alguma coisa. A filha avisou-os de que tomassem cu
8/10 - 121 votos